Porto_Talasnal blog post

From the City to the Countryside / Da cidade para o Campo

(ENG)

Moving from the city to the countryside can be a real adventure. For many is “Chasing the Dream”, something very desired, but often involved in fears as well, especially when leaping to something totally unknown.

At the age of 23, my partner and I left the urban environment to embrace a rural life. He was in fact abandoning everything he had known until then, all his family, friends, the place where he was born and where he always lived. I wasn`t.

My family made the move (from city to rural) when I was only 6 years old and it is in that phase that I place the feeling of change into the unknown, the departure for adventure, and experiencing that feeling in childhood did not bring me any kind of fear, quite the opposite. Our change was quite extreme. From the city to the mountains, to the most remote, natural and uninhabited place that could be found in Portugal in the 80s and 90s. Both very young, with 4 children, my parents decided to buy and recover a shale house, in a village that was deserted at the time, completely abandoned in Serra da Lousã (when there was still no tourism, – at  many kilometers from the town, without a car (my father had only one motorbike and the trips to the village were made on foot – down the hills to town – up the hills back home). But this story I leave for another time! The truth is that this experience left treasured memories and is forever part of who I am, my DNA.

Later, by destiny and other reasons, I returned to the city – Porto – to study at an Art school. Not that it was essential for me at the time, but because the family believed it was the best choice and although a little upset, I embarked on this new change. The fact is that it turned out to be a good experience, I enjoyed the city, and everything it can offer, at the best time: the end of adolescence and pre-adulthood. But in fact, I missed the countryside and nature all the time. I missed the mountain and the birds, the heather, the wild flowers, the smells, the freedom. So I had no doubt that I had to go back and that it was here, in the countryside, that I really wanted to live my life.

Moving to the countryside has its challenges. Many. Especially when moving at a stage when professional experience has not yet been consolidated.

What moves someone to change to a rural life and what challenges does it bring?

I made a small collection of testimonies on the internet, in some Facebook groups where I participate.

Most of the people who gave their testimony, especially the people who moved to Portugal from other European countries, said they had moved from the city to the countryside after 40/50 years old, or already at retirement age. As for Portuguese, most of the people who participated made a change at a young age between 20 and 40 years old.

Despite the age, the reasons that led them to make this change are very similar:

The tiredness of a busy life;

The search for a more calm and relaxed life;

More quality of life.

Being able to grow your own food,

Live close to nature;

Being able to raise children in a healthier and happier way;

Live a more sustainable and less expensive life;

Portugal being so small, and served by so many highways, it is easy and fast nowadays to get anywhere.

Regarding the challenges and difficulties encountered:

Isolation: Less “social life”

Being apart from from friends, family.

Lack of a good public transport network – the need to drive and to have a car in rural areas is a reality. Although there is public transport, these do not go everywhere and are very limited.

Lack of work / employment. Many of the people who move from the city to the countryside while still at working age, are experiencing this difficulty. Often the solution is to create your own job, or a small company (when investment is possible, there are endless possibilities: tourism – agriculture, services… ) and definitely, remote work.

Country life is not for everyone … just like city life is not for everyone. Being born in the country and wanting to live in the city or being born in the city and wanting a country life … are common feelings, we are all different and we all have an ideal lifestyle. One thing is certain, if the desire is strong, whatever it may be, we must make our way towards the kind of life we ​​desire for ourselves and our family, even if it means risking or losing certain things that we take for granted … Difficulties will arise, in any change, on any path, but still, the advantage of living a fuller, healthier and happier life is the side that weighs most on the scale … And that is how it has to be!

So, if your desire is to take the leap and move to the countryside, despite all the fears, go for it, what are you waiting for?

If you want to share your story / testimony about the change of life to the countryside, please leave a comment, we would love to read and learn more! The reasons, at what age, advantages and challenges.

If you have the desire to move but don’t know where to start… please write / share…! Opportunities may arise! 🙂

Thank you and “até já”!

(PT)

A mudança da cidade para o campo pode ser uma verdadeira aventura. É para muitos a busca de um sonho, algo muito desejado, mas muitas vezes envolvido em receios também, principalmente quando se parte para algo totalmente desconhecido.

Quando aos 23 anos de idade, eu e o meu companheiro abandonámos o meio urbano, para abraçar uma vida rural, ele estava de facto a abandonar tudo aquilo que conhecera até então, toda a família, amigos, a terra onde nascera e onde sempre tinha vivido. Eu não. 

A minha família fez a mudança quando eu tinha apenas 6 anos e é nessa fase que situo a sensação de mudança para o desconhecido, a partida para a aventura, e viver essa sensação na infância não me trouxe qualquer tipo de receio, muito pelo contrário. A nossa mudança foi extrema. Da cidade para a serra, para o local mais remoto, natural e inabitado que poderia haver no Portugal dos anos 80/90. Ambos muito jovens, com 4 filhos, os meus pais decidiram comprar e recuperar uma casa de xisto, numa aldeia que era na altura deserta, completamente abandonada na Serra da Lousã (quando ainda não havia turismo,- a muitos quilómetros da vila, sem carro (o meu pai tinha apenas uma motorizada e as idas à vila faziam-se a descer – e subir de volta – a serra a pé). Mas esta história fica para uma outra altura! O que é certo é esta experiência deixou em mim memórias valiosas e é parte de quem eu sou, do meu ADN. 

Mais tarde, por voltas do destino e outras razões, voltei a viver no Porto para estudar numa escola de artes. Não que fosse imprescindível para mim na altura, mas porque a família acreditava que fosse a melhor escolha e embora um pouco contrariada, embarquei nessa nova mudança. O facto é que acabou por ser uma experiência boa, aproveitei a cidade, e tudo o que ela pode oferecer, na melhor altura: o final da adolescência e idade pré-adulta. Mas na verdade, sentia falta do campo e da natureza muitas vezes. Sentia falta da montanha e dos pássaros, da urze, das flores selvagens, dos cheiros, da liberdade. Por isso eu não tinha dúvidas de que tinha de voltar e que era aqui, no campo, que eu queria realmente viver.

Mudar para o campo tem os seus desafios. Muitos. Principalmente quando se muda numa fase em que ainda não se consolidou experiência profissional, por exemplo.

O que move alguém a procurar uma vida no campo e que desafios encontra? 

Fiz uma pequena recolha de testemunhos na internet, em alguns grupos do facebook onde participo.

A maioria das pessoas que deu o seu testemunho, especialmente as pessoas que se mudaram para Portugal vindos de outros países da Europa, disse ter feito a mudança da cidade para o campo, já depois dos 40 / 50 anos, ou já na idade da reforma. Quanto a portugueses, a maioria das pessoas que participou fez mudança ainda jovem entre os 20 e os 40 anos.

Independentemente da idade, os motivos que as levaram a fazer essa mudança são muito similares:

O cansaço de uma vida agitada;

A procura de uma vida mais calma e relaxada;

Mais qualidade de vida.

Poder cultivar a própria comida, 

Viver perto da natureza;

Poder criar os filhos de uma forma mais saudável e feliz;

Viver uma vida mais sustentável e menos dispendiosa;

Sendo Portugal tão pequenino, e servido de tantas auto-estradas, é fácil e rápido hoje em dia chegar a qualquer lado.

Quanto aos desafios e dificuldades encontradas:

Isolamento: Menos “vida social”

Afastamento de amigos, familiares .

Falta de uma boa rede de transportes – a necessidade de se conduzir e de ter carro no meio rural é uma realidade. Apesar de haver transportes públicos, estes não vão a todo o lado e são muito limitados.

A falta de trabalho / emprego. Muitas das pessoas que se mudam da cidade para o campo ainda em idade activa sentem esta dificuldade. Muitas vezes a solução passa pela criação do próprio emprego, ou uma pequena empresa (quando é possível o investimento, e aqui as possibilidae são muitas: Turismo, agricultura, serviços… para além de que é sempre uma mais-valia para a região ) e definitivamente, o trabalho remoto.

A vida no campo não é para todos… tal como a vida na cidade não é para todos. Nascer no campo e desejar viver na cidade ou nascer na cidade e desejar uma vida de campo… são sentimentos comuns. Uma coisa é certa, se o desejo é forte, seja ele qual for, devemos trilhar o nosso caminho rumo ao tipo de vida que desejamos para nós e para a nossa família, mesmo que isso signifique arriscar ou perder certas coisas que damos como seguras… Dificuldades vão surgir, em qualquer mudança, em qualquer caminho, mas ainda assim, a vantagem de viver uma vida mais plena, saudável e feliz é o prato que mais pesa na balança… E ainda bem! Então… se o que desejas é viver no campo, apesar dos receios, força, arrisca! O que esperas?

Se quiser partilhar a sua história/testemunho acerca da mudança de vida para o campo, por favor deixe um comentário, adoraríamos ler e saber mais! Os motivos, com que idade, vantagens e desafios. 

Ou, se viver no campo é o seu desejo mas não sabe como começar, escreva também, partilhe! Quem sabe daqui surgem ideias e oportunidades! Obrigada e até já!

One Comment

  • Alice_is_in_wanderland

    I love reading a little more about your life, Joana. We’re happy to be here ‘in the countryside’ and hoping to make a go of it, but we also have all the usual fears/worries. Hopefully we can make it work! We’ll see x

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *